Borboleta

Era bem cedo. O trânsito estava num dia raro, em que tudo funciona e, como estava adiantada demais, resolvi sentar em uma cadeira em frente ao gramado do Bryant Park. O sol ainda estava tímido, mas já tinha uns gatos pingados esperando aquela energia quentinha pro dia começar. Foi quando os dois chegaram. O moço,... Continue Reading →

Advertisements

In the Middle

I’ve been obsessed with stories of people who’ve had out of-body-experiences. The possibility of looking at yourself from the outside, looking around without pain, while freely navigating in the space must be unforgettable —or at least transforming. I once experienced this and it changed me forever. No, I didn’t leave my body and didn’t float... Continue Reading →

Un vacío en el nido

La semana pasada una amiga me envió el trabajo Invisibles (2018) de Jaume Plensa. Inmediatamente me dieron unas ganas de volver a un texto que escribí el año pasado, cuando estaba en la batalla interna y externa sobre volver a trabajar. Me quedé con el deseo de compartirlo, especialmente porque sé que hay muchas mujeres... Continue Reading →

Because I don’t know how to pray

I’m not a professional mom. I’m very embarrassed to confess this, but I’m jealous of the ladies who have been improving on this job over many years. All their time has been dedicated to their kids. I give all the recognition to them. I mean it. The problem is due to my selfishness. Yes, I’m... Continue Reading →

Porque no sé rezar

No soy una mamá profesional. Me da pena decirlo pero he visto con cierta envidia a esas señoras que con los años se hacen cada vez más diestras en esa labor. Todo su tiempo y su vida dedicadas a sus hijos. Todo mis respetos para ellas. Mismo. El problema está en que soy egoísta. Sí, soy... Continue Reading →

Porque não sei rezar

Não sou uma mãe profissional. Me dá um bocado de vergonha assumir, mas vejo com certa inveja essas mulheres que vão se aprimorando cada vez mais neste trabalho. Todo o seu tempo e vida dedicados a seus filhos. Todo o meu respeito pra elas. Mesmo. O problema é que sou egoísta. Sim, sou uma mãe... Continue Reading →

¿Por qué?

Hace un largo tiempo atrás yo hablé con amigos acerca de un cortometraje ( titulado Desde la ventana de mi cuarto) hecho por otro amigo, el video artista Cao Guimarães. En ese momento todos daban sus puntos de vista de una forma muy académica: el ángulo, los elementos, la niña y el niño personificando los... Continue Reading →

Por quê?

  Há um bom tempo atrás, eu estava conversando com amigos sobre um curta (Da Janela do meu quarto) feito por outro amigo, o cineasta Cao Guimarães.  Todo mundo estava dando seu ponto de vista num jeito bem acadêmico: o ângulo, os elementos, a menina/o menino personalizando os papéis do mulher e do homem na... Continue Reading →

Powered by WordPress.com.

Up ↑